segunda-feira, 19 de maio de 2014

Gourmet

  Dentre todos os pães, escolhi o mais doce e recheado,
que me traria mais prazer e satisfação, e apesar de ser o mais caro..
  .. Era apenas um sonho..
  E desde então venho me acostumando a comer apenas o pão que o diabo amassou,
e mesmo que não seja assim tão doce e prazeroso, preenche meu estomago e me mantém de pé.

Perdido no espaço

  Enquanto observava constelações,
perdi a passagem singela de um cometa,
que me daria a chance de pedir um pouco mais de paz.
  Mas quem pode me garantir quais dos bens, mais podem me fazer bem?
  Quem afinal pode me garantir, que entre as constelações que observava, não haveria uma estrela com brilho tão intenso quanto o cometa, que deixei que passasse em vão, que poderá me trazer paz igualmente sincera.

Parada do trem

  Neste momento o trem encontra-se parado,
não por má vontade do maquinista, mas pela falta do carvão que move o trem,
o maquinista largou sua locomotiva e caminha arduamente pelas pedras, tendo esperança de encontrar algum carvão pelo caminho, e apesar de todo o temor de saber que terá de fazer todo o caminho de volta ao trem carregando em seu coração o peso do carvão do querer, ele continua seu caminho otimista , e seus pés doem, sua mente o engana e lhe pesa.

Dezenove

  Depois de dezenove anos de pensamento incessante,
continuo insistentemente pensante, me negando a ser carregado pelas ondas da ignorância e da cegueira.
  E ainda penso e sinto que permaneço no inicio de meus processos pensativos, muitas situações à viver, muitas escolhas à fazer, muitos pontos de vista para observar, e tempo... muito tempo para me analisar, para mudar costumes, aprender e reaprender.
  Tantos se desesperando e sentindo seu tempo voar, por não saber dar atenção ao que realmente importa, e eu aqui sentindo o tempo parar, e cada segundo ser um milênio, por aproveitar cada momento significativo e dando valor a simplicidade do mesmo.